Hidroterapia e Fibromialgia

A síndrome da Fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes, tendo como característica principal a DOR musculoesquelética crônica, com presença de 18 (dezoito) pontos sensíveis, tender points, nos músculos ou na junção miotendínea durante pelo menos 03 (três) meses, com presença de insônia, fadiga, dificuldade de concentração, síndrome do intestino irritável, quadros depressivos, redução da resistência a exercícios físicos e com consequência também uma redução da capacidade cardiorrespiratória.

A fibromialgia consiste em uma doença que acomete os limites funcionais dos pacientes no que reflete diretamente na qualidade de vida dos mesmos.

Segundo alguns estudos a utilização da hidroterapia tem demonstrado resultados positivos no tratamento e na prevenção de doenças reumatológicas. Baseado nos efeitos fisiológicos e terapêuticos, a hidroterapia é uma opção favorável, pois além de melhorar a capacidade cardiorrespiratória, melhora também o bem-estar do paciente.

As propriedades físicas da agua provocam efeitos no corpo, tais como a densidade relativa que reduz o impacto sobre as articulações, a pressão hidrostática que gera uma pressão sobre todos os sistemas, favorecendo que o sangue circule melhor, a flutuação e o empuxo que promovem uma redução do peso corporal o que facilita a realização de exercícios com maior amplitude, e pôr fim a temperatura da água que gira em torno de 32º a 34ºC resultando um relaxamento muscular e melhorando a qualidade do sono. Além que durante a imersão os estímulos sensoriais, acabam interrompendo o ciclo da dor.



14 visualizações0 comentário