top of page

Dor crônica no Joelho do Idoso

Atualizado: 17 de out. de 2023

Dor crônica no joelho do idoso

O joelho humano há seculos vem sendo exposto as diversos traumatismos, estresses, lesões e doenças degenerativas. O crescimento da população idosa também contribuem para o aumento do número de pessoas com alterações degenerativas do joelho.

A dor aguda no joelho de pacientes idosos é frequente, sendo caracterizada por seu aparecimento súbito, sem causa aparente, com exame radiográfico dentro dos padrões da normalidade, na maioria dos casos. A etiologia da dor aguda no joelho é decorrente de insuficiência das estruturas, e seu quadro clínico difere completamente daquele determinado pela osteoartrose, sendo sempre unilateral e ocorre na grande maioria em pacientes do sexo feminino, após a quinta década de vida, e na região medial do joelho (local de maior carga).

Quadro Clínico

O quadro clínico do paciente que nos procura relatando queixa de dor aguda do joelho é bem característico: início súbito, sem causa traumática; sendo que, em alguns casos, o paciente relata traumas de pouca importância relacionados ao joelho acometido.

Há certa incapacidade funcional provocada pela dor, acentuada ao caminhar e imediatamente após o repouso. A dor noturna é frequente e alguns pacientes relatam utilizar uma almofada entre os joelhos para dormir.

Os antecedentes da dor são raros e o sintoma agudo provoca surpresa nos pacientes. Os falseios ao caminhar ocorrem com pouca frequência; o derrame articular é excepcional e é mais comum nos pacientes do sexo feminino.

O exame físico a flexão e extensão são dolorosas. A dor também é identificada durante a palpação da interlinha medial e, com menor frequência, na lateral. A sinovite com derrame articular nem sempre pode estar presente.A flexão do joelho acometido com o paciente em apoio monopodálico desperta dor, desconforto e insegurança.

O estudo por imagem possibilita o esclarecimento diagnóstico da maioria dos casos. A radiografia simples do joelho frequentemente é normal, podendo em raros casos ser visível um traço subcondral que sugere fratura por fadiga.

A ressonância magnética (RM) é fundamental e possibilita o diagnóstico etiológico.

Você que esta lendo, tem algum sintoma citado nesse artigo? Nos da equipe instituto IJO teremos o prazer em atendê-los e traçar um melhor plano de tratamento para você

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page