Artroplastias - Próteses

Você certamente já ouviu falar em próteses. Próteses de joelho e quadril são as mais comuns pois as essas articulações recebem muita descarga de peso favorecendo assim o desgaste. A Prótese pode ter diversas indicações, desde desgaste a falhas congênitas ou traumas, o seu ortopedista é a pessoa mais indicada para discutir sobre esta indicação. O objetivo deste artigo é mostrar a você paciente como funciona a reabilitação deste tipo de cirurgia. Tudo começa com o tratamento conservador, pacientes que sofrem de artrose ou outras doenças geralmente fazem uma tentativa conservadora, ou seja, Fisioterapia. Muitas vezes a doença já se encontra em estágio mais avançado e os recursos fisioterapêuticos se tornam apenas paliativos. Este então é o momento de discutir a viabilidade da cirurgia com seu ortopedista. Uma vez decido pela cirurgia inicia-se o pré-operatório; do ponto de vista clinico são solicitados exames de rotina, raio x de tórax, eletrocardiograma e exames de sangue, estes exames podem variar de acordo com o paciente. Do ponto de vista fisioterapêutico o pré- operatório serve para instruir o paciente de como prosseguir no pós-operatório, uma vez que o fisioterapeuta ensina e demonstra os exercícios e/ou manobras para o paciente, este já fica mais familiarizado com a maneira de realiza-los no pós-operatório, diminuindo riscos de complicações intra e extra hospitalares e diminuindo também a ansiedade. Como a maior parte dos pacientes submetidos a este tipo de cirurgia são idosos, o tempo de internamento pode variar de acordo com a condição clínica do paciente, mas no âmbito hospitalar a equipe de fisioterapia tem como objetivo, manter toda a parte respiratória do paciente da melhor forma possível com exercícios de expansão pulmonar e se necessário manobras de higiene brônquica, além disso, a deambulação precoce deve ser incentivada com andadores ou muletas e prevenção de trombose venosa profunda, cabe a avaliação da equipe multidisciplinar. Após este período de internamento breve o paciente é liberado para o tratamento fisioterapêutico domiciliar ou ambulatorial, deve-se levar em consideração o fator locomoção. O paciente tem como se deslocar até a clínica? Se sim este deve ser enfatizado pois a quantidade de recursos para o tratamento é maior. Se não a equipe de fisioterapia se desloca até o paciente, objetivando a diminuição do processo inflamatório e ganho de amplitude de movimento além de restaurar a biomecânica articular e a força muscular. Retirados os pontos da ferida cirúrgica o paciente pode e deve iniciar o tratamento em meio fluido, a Fisioterapia Aquática. Submerso a descarga de peso se torna reduzida, a pressão hidrostática diminui o edema residual melhorando o retorno venoso. Exercícios propostos nesta fase visam melhora a força muscular e a amplitude de movimento. Entrando na fase final da recuperação o paciente é incentivado a recuperar sua propriocepção, sua percepção do corpo no espaço, promovendo assim ganho de equilíbrio estático e dinâmico, retornando as suas atividades de vida diária.

Recebendo a alta: Após este período de recuperação o paciente repete alguns exames de imagem e progride com a atividade física, uma vez que o a articulação não o impede mais de realizar exercícios físicos o paciente é liberado sem restrições, apenas acompanhamento semestral e após este período anual. Na dúvida a equipe do IJO está pronta para atendê-lo!

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

(41) 3243-6135 (41) 9 9757-7565

Av. Silva Jardim, 4228. Curitiba/PR

  • Instagram

©2020 por IJO Fisioterapia.
CNPJ 24.591.589/0001-08
Clinica de Fisioterapia e Hidroterapia Treml & Stein LTDA
(41) 3243-6135